sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Teu arquivo



Como é gostoso recordar!
Das nossas lembranças 
Guardo comigo sua deliciosa presença,
Que ficou marcada  num misto de encantamento e despreocupação,
Instantes onde eu bebia com os olhos um mundo novo, que você me apresentava.
Te olhei demais,
Não perdi nada de você, 
Sorvendo cada pormenor de tua alma e de teu pensamento.
Guardei tudo, tudo de você.
Aliás, nunca te escondi isso: que fazia um arquivo de ti.
Te olhei tanto,
Te senti tanto,
Que você foi se misturando em mim,
E hoje quando me olho, eu sorrio.
Pois você está lá a sorrir para mim.
E continuo te olhando... 


Nenhum comentário:

Postar um comentário