quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Faxina mental

Ok.
Não sabes brigar?
Vais ter de aprender.
Sabes aonde estás a morar?
No planeta Terra.
Não é no paraíso ainda, certo?
E aqui o mal existe.
 Tem também gente mal,
Tem os brutos,
Tem aqueles isentos de educação,
Tem os corruptos de plantão, e etc e tal.
 E...
 Não tens armas para defender-se deles?
O que farás então?
Não é à toa que só resta-lhe o espanto, o pranto e a fuga.
Na vida, ...ou tu choras ou fazes chorar.
Preferes a primeira hipótese?
Eleges-te como o que deve sofrer, e poupas o outro?
Não podes fazer isso!...
Não podes funcionar desse modo na vida.
Escuta-me:
 Conheço o expediente dos que se comportam assim.
Choram e não se defendem, mas não é por covardia.
Pelo contrário.
É por crença na presença de fúria.
Sim!
 Sentem-se tão violentos e perigosos com raiva que imaginam que qualquer
briga terminará em guerra, desastre ou rompimento dos vínculos.
Têm sempre um tsunami na cabeça.
Por isso paralisam, choram e fogem do "ring"
Mas as coisas não são assim....
Explico mais:
Essa idéia de violência exagerada, e de que soltar o ódio irá destruir o outro,
é tão somente e simplesmente uma "fantasia" da nossa mente.
E sabe porque a produzes ?
Devido ao efeito do represamento de tua agressividade.
À cada humilhação ou raiva que passas e te calas, ela vai acumulando-se dentro de ti, 
e foram tantos anos, que agora te sentes um vulcão à beira de explodir.
 Tens medo do perigo que possas vir a ser ou causar.
Porém, não creias nisso.
Tal criação mental não tem fundamento de realidade.
Não passa de uma "projeção deturpada" de sua percepção mental.
Se permitires que o ódio vá escoando gradativamente, 
em todos os momentos em que tu fores provocado e ele aparecer,  
irás atualizando o nível dele dentro de ti,  até o ponto dele diminuir muito e perder a força. 
E então ele se normalizará.
É uma questão de tempo e de treino.




Nenhum comentário:

Postar um comentário