sábado, 26 de abril de 2014

Fizemos uma "história"



Sentava-me sempre frente a ele para olhá-lo e ouvi-lo,
e para que ele me pudesse olhar e me ouvir também.
Eu observava atentamente seu comportamento, seu jeito, e seu modo de falar, e me surpreendia e me deixava absorver com tantas novidades que eu encontrava na sua maneira de "ser" e de viver.
O mundo dele atraia imensamente a minha atenção, e quase a totalidade do que ele era
diferenciava-se de mim e do que eu vivia.

Com o passar do tempo, muitos dos nossos pensamentos acabaram convergindo-se para o mesmo ponto, e foram se ampliando lentamente os nossos pontos de intersecção.

A soma dos nossos momentos e dos nossos encontros foi se constituindo numa "história nossa",
cujo conhecimento era compartilhado só por nós dois. 

Foi uma relação construída a quatro mãos e que , com o passar do tempo se revelou 

algo muito importante e frutífero para ambos.

Soubemos construir, na maioria das vezes, um clima de encontro calmo e aconchegante, estabelecendo um equilíbrio gostoso entre silêncios e conversas, o que fez das nossas aproximações
momentos deliciosos e esperados.

A sua presença em minha vida foi um acontecimento que trouxe-me satisfação enorme. 

Vivi um profundo sentimento de respeito e de amor em relação a ele, e sua saída dos meus dias
e da minha rotina deixou intensa falta e desencanto.

Até hoje eu anseio retomar o contato com ele.

O que é bom, nós não aceitamos perder de vista.




Nenhum comentário:

Postar um comentário